25 de mai de 2009

Flashpoint: Gostar ou não gostar do Ed?

Ele defendeu a permanência de Donna, deixando claro que ela deveria ter assumido o posto ocupado por Jules para o bem da equipe. Para Ed, o tiro impulsivo que Donna disparou em sua última missão, foi a prova de que ela precisava ficar no time.


Analisando os fatos até o último episódio com a Donna, temos 5 motivos para tirar o personagem Ed da nossa lista de favoritos.

1°: Ed não foi dar as boas vindas a Jules quando ela retornou. (Pelo menos não foi mostrado como a cena onde Greg recebeu Jules com um forte abraço).

2°: Ed nunca elogiou a Jules em nenhum momento, em nenhuma das missões.


3°: Na conversa que teve com Greg, defendendo a permanência de Donna, Ed disse:

"Eu sei que Jules é familia, mas quando recebermos um chamado, vamos querer mandar a SWAT ou a família?"  

Ou Ed usou a definição 'familia' pois acha que Jules é muito importante para ser mandada para uma missão, ou foi no sentido de se referir a uma pessoa próxima mas mal preparada para as missões comparada a Donna, considerada por ele como "SWAT".

4°: Ed parece não concordar com o romance de Jules e Sam. Ao contrário de Greg, Ed é bem menos compreensivo em relação ao
sentimento do casal. Ele chegou a questionar o Sargento, perguntando se ele iria deixar Jules e Sam na mesma equipe.

5°: Tanto Jules quanto Ed são snipers (atiradores), portanto os dois tem a mesma função na equipe.
Pode ser dai o começo dessa certa implicância por parte dele.

Apesar desses motivos, a série continua mostrando Ed como uma pessoa boa, que tem uma famila, que sempre sofre com as situações, que sempre "salva o dia". Ed defendeu Donna devido as duas vezes onde ela atirou para matar. Desde o início da série, Jules não precisou matar ninguém, ao contrário, ela se colocou em risco para salvar as vítimas, seja pendurada em um prédio ou ameaçada por uma arma em seu peito.

A Donna foi embora, mas o Ed ficou (...)


Últimas postagens: